segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

AVIS MELLÍFERA 2012



Nesta altura do ano em que as temperaturas condicionam a realização de actividades junto das nossas colónias de abelhas, existe disponibilidade para outras acções também ligadas à apicultura, nomeadamente recuperação de material para a próxima campanha, bem como participação em eventos sobre o sector.

No passado dia 8 de Dezembro participei no evento AVIS MELLÍFERA 2012, que se realizou em Avis e que permitiu reforçar duas convicções que já tenho há muito tempo…

A primeira convicção que sai reforçada é que sempre fui bem recebido no Alentejo ao longo da minha vida e este evento não foi excepção. Tanto eu, como creio, todos os participantes se sentiram como se estivessem em casa, recebidos de forma muito afectuosa.

A minha segunda convicção que sai reforçada é que sempre fui uma pessoa simples que gosta de coisas simples e este evento apesar de muito simples, ultrapassou todas as minhas expectativas.

A acção promovida pela ADERAVIS, associação local do sector, decorreu no salão da Junta de Freguesia de Avis, que foi devidamente preparado para o efeito e que recebeu mais de meia centena de apicultores oriundos de vários pontos do país.

A parte da manhã foi preenchida com um workshop sobre hidromel, onde o Dr. António Hermenegildo (SAP) explicou o processo de produção da bebida de forma simples, mas bastante eficaz, tendo relatado as várias experiência que realizou em torno desse produto, para garantir a sua qualidade.

Após a apresentação teórica, passou-se à parte prática, onde houve a possibilidade de efectuar a prova dos vários tipos de hidromel de acordo com a sua densidade.


Para ser sincero…. Não me agrada muito o sabor do produto, pois imaginava-o mais doce, tendo em conta a utilização do mel no seu processo de fabricação.

Após o período de almoço, realizou-se um colóquio onde foram abordados temas relevantes para o sector apícola.


O Dr. Joaquim Pifano em representação da ADERAVIS abordou a temática da flora apícola, mostrando a  abordagem  passiva/activa que o apicultor deverá ter a este nível. Foram identificados alguns problemas e algumas soluções ao nível dos pastos apícolas, tão necessários para o desenvolvimento das colónias. Houve ainda o cuidado de apresentar algumas espécies de plantas, arbustos e árvores que se podem utilizar na região para adensamento, com elevado potencial apícola.

O Engº. Pedro Santos em representação da CNA falou sobre a apicultura e a nova PAC, tendo identificado alguns problemas que se verificam a nível da agricultura nacional e que consequentemente afectam também a apicultura. Teve ainda o cuidado de reforçar a importância dos movimentos associativos nos vários sectores da agricultura, que podem e devem ser entidades activas na defessa dos interesses dos seus associados.

Seguiu-se a apresentação do Eng.º Paulo Varela em representação da Montemormel que abordou as vantagens e desvantagens das melarias colectivas. Atendendo à legislação que regulamenta o sector apícola, parece fazer todo o sentido a existência destas unidades. Parece-me óbvio que as vantagens superam largamente as desvantagens, não só porque facilitam a vida ao apicultor ao nível do processo de extracção, como pelo facto de quase sempre estarem ligadas a associações, puderem facilmente potenciar a venda do produto, conseguindo preços e condições muito melhores, que as obtidas individualmente por cada apicultor. 

No meu ponto de vista, parece haver necessidade de consertar posições ao nível das associações que estejam territorialmente mais próximas, para que da partilha de uma única melaria se possa aumentar a escala, donde resultará naturalmente um reforço da posição no mercado.

Embora saiba que muitas vezes a distância pode ser sinónimo de afastamente, a existência de bons acessos no território e de meios entre associações, pode ajudar nessa aproximação.

O Engº. José Serranito em representação da Qalian falou sobre sanidade apícola e apresentou as diferenças entre produtos químicos e produtos homeopáticos, tendo saído reforçada a ideia da necessidade de acompanhamento permanente das colmeias, com maneio adequado e com a aplicação de produtos seguros que cumpram com eficácia o seu objectivo.


Resta acrescentar que o colóquio foi superiormente moderado pelo Eng.º José Gardete, que soube sempre identificar os pontos essenciais de cada intervenção, dando algumas “achegas” que complementavam a discussão dos vários temas em análise, mantendo sempre um bom nível de discussão entre os oradores e o público.

Realço em seguida alguns temas/aspectos que foram colocados pelos apicultores presentes no colóquio:

- Ordenamento do sector apícola;
- Movimentos de transumância vindos de Espanha;
- Questões de segurança na sanidade apícola associadas à transumância espanhola;
- Inércia na intervenção de autoridades nacionais ao nível da fiscalização;
- Formas de cumprir com a protecção contra incêndios que não destruam a flora apícola;
- Importância do movimento associativo na defesa do sector;
- Necessidade de efectuar campanha de combate à varroa, com intervenção conjunta  e simultânea em todo o território nacional;
- Criação de melarias conjuntas que defendam os interesses dos apicultores;
- Importância de maneio adequado e acompanhamento do desenvolvimento de colónias;

Em suma, a Avis Mellífera 2012 foi a meu ver uma acção de enorme sucesso, que espero tenha ido ao encontro dos objectivos definidos pela organização.

Foi para mim um prazer poder contactar com apicultores experientes, disponíveis para explicar procedimentos, dar dicas e ensinar truques de forma tão natural e espontânea, que para um aprendiz de apicultor como eu, valem ouro.

Felicito a organização pelo excelente dia que me proporcionaram e agradeço a simpatia e simplicidade de todos os elementos da direcção, oradores e participantes, com os quais aprendi bastante.

A TODOS, um bem haja e votos de boa sorte!!

Saudações Apícolas!!

terça-feira, 13 de novembro de 2012

XI FEIRA NACIONAL DO MEL - LUSO 2012

A XI Feira Nacional do Mel realizou-se no Luso no passado fim de semana (9 a 11 de Novembro), aproveitando como é habitual a realização do Fórum Nacional de Apicultura, a qual tive oportunidade de visitar.

A feira apesar de não ser algo grandioso, serviu na perfeição para satisfazer os meus objectivos, porquanto apresentava vários pavilhões, onde se encontravam representadas algumas associações e empresas do sector, bem como espaços que não estando ligados à apicultura ajudavam a animar o espaço.

No dia em que visitei a feira, talvez por estar a decorrer o XIII Fórum Nacional de Apicultura, havia bastante gente, que aproveitava para comprar produtos, ver equipamentos ou simplesmente trocar conhecimentos e experiências.
  



O espaço estava bem organizado e permitiu-me tomar conhecimento de uma imensidão de soluções existentes na área da apicultura, para as mais diversas actividades.

O espaço da feira foi ainda o local escolhido para a entronização dos novos confrades, da recentemente criada Confraria do Mel, que espero seja um espaço/entidade onde os seus elementos cumpram com o juramento prestado, uma vez que com isso se dará visibilidade a tão precioso produto.


  
Saúdo vivamente a organização da feira pelo excelente espaço criado, dado que o mesmo apresentava na minha opinião as condições essenciais para o fim a que se destinava.

Saudações Apícolas!!

XIII FÓRUM NACIONAL DE APICULTURA – LUSO 2012

REFLEXÕES

Tal como previsto no passado dia 10 de Novembro, apesar das péssimas condições climatéricas, estive no Luso para participar no XIII Fórum Nacional de Apicultura.

Confesso que ia carregado de expectativas para aquele que é considerado por muitos o evento do ano para o sector apícola, mas a realidade foi bem diferente…

Apesar de estar uma sala cheia de gente, que estimo em cerca de 300 a 350 participantes, as coisas não correram bem!

  
Começo por falar da organização do evento, que creio esteve a cargo da Federação Nacional de Apicultores Portugueses e da Associação dos Apicultores do Litoral Centro e que não me pareceu terem a capacidade para gerir um evento nacional desta grandeza, perdoem-me os responsáveis, mas há de facto coisas que não são admissíveis, que passo a explicar….

1 – INSCRIÇÕES
Havia a possibilidade de realização de inscrições antecipadas ou no próprio dia do evento, o que degenerou numa tremenda confusão no momento da recepção dos participantes, mesmo aqueles que já tinham efectuado a sua inscrição antecipadamente. Para além disso, quando se opta por deixar inscrever toda a gente e não existe limite de número de participantes, terá de se ter uma sala com capacidade suficiente, para receber todos os participantes. Neste caso houve participantes que ficaram de pé porque já não havia cadeiras disponíveis, sobretudo no ínicio dos trabalhos.

2 – LOCAL
O local escolhido para a realização do Fórum, não apresentava as condições necessárias para uma apresentação em sala. Apesar da sala ser enorme e climatizada, estava completamente lotada, mas não era um auditório, logo as pessoas estavam sentadas ao mesmo nível, não havendo uma elevação do palco suficiente para se ver a cara dos oradores ou mesmo as apresentações. Parece-me que de facto a melhor solução passaria pela realização deste tipo de actividade em espaços tipo auditório ou anfiteatro, que permitem que qualquer participante esteja num plano que permite acompanhar na plenitude as apresentações. A verdade é que de meio da sala para trás ninguém estava confortável a assistir às apresentações, tendo os participantes que se levantar das cadeiras para ver a totalidade dos diapositivos que iam sendo passados pelos oradores.

3 – MEIOS DE SUPORTE AUDIOVISUAL
Todos os meios de suporte audiovisual devem estar ligados e testados antes do evento, para que aquando do início dos trabalhos e das apresentações dos oradores não se verifiquem atrasos, o que no caso não veio a acontecer, tendo levado a um atraso de cerca de uma hora.

4 – CUMPRIMENTO DE HORÁRIOS
Como se verificaram problemas com os meios de suporte audiovisual, o programa do fórum atrasou muitíssimo, pelo que a pausa para café que estava prevista para as 11H00 só aconteceu por volta das 12H30… Logo o período do almoço que estava previsto para as 13H00 teve o seu inicio às 14H00… Tendo o restante programa deslizado para fora dos horários previstos.

5 – TEMAS ABORDADOS
Os temas que faziam parte do programa apresentavam pouco interesse para os apicultores, com excepção dos primeiros dois oradores da manhã (Dr. Miguel Vilas Boas e Manuel Izquierdo Garcia) que abordaram temas muito interessantes, respectivamente sobre produção biologia e mercado de mel em Espanha, a parte da manhã mais nada teve de interessante para os apicultores.
No período da tarde verificou-se um bom momento, com a realização da mesa redonda, mas com uma péssima moderação, onde sistematicamente a FNAP intervinha para mostrar que anda a fazer trabalho em prol dos apicultores.
A meu ver eram dispensáveis apresentações de estudos universitários, sobretudo quando ainda não estão concluídos, que apenas carecterizam algumas áreas e que nada acrescentam de conhecimento aos participantes. Não posso deixar de referir que o pior módulo foi “Água-Mel – Caracterização Qualitativa da Água-Mel para a sua valorização a nível nacional”, em que a oradora passou todo o tempo a mostrar gráficos com medições de fenóis e outras “cenas”, que levou ao quase abandono generalizado da sala.

Não posso também deixar de fazer nota sobre o jantar que a organização do evento supostamente ofereceu (a meu ver foi mais que pago!!), para cerca de 500 pessoas, que começou tardíssimo (21H30), numa tenda montada para o efeito não climatizada, onde mesmo sem comida, se batia os dentes com tanto frio!! Este jantar demorou cerca de 2 horas e meia, já que entre sentar à mesa e a chegada da sopa foi preciso esperar cerca de 40 minutos, depois da sopa (já fria!!) esperou-se mais 30 minutos para comer UM SÓ PEDAÇO de leitão frio, com umas batatas fritas de pacote e um pouco de alface e passado 1 hora passam novamente para deixar mais um pedaço de leitão, que continuava frio!!!

Inesquecível foi também o acompanhamento do jantar, ao som de fados de Coimbra, que até estava agradável, tendo a meio sido substituídos por uma bateria de Carnaval, que por pouco não ensurdeceu todos os participantes, de tão alto que estava o som e com tão má qualidade!!

Também ao nível dos restaurantes locais e próximos do local do evento, que eram hipótese para o almoço da responsabilidade dos participantes (apenas 3!!), havia longas filas, com períodos de espera intermináveis e com preços não muito convidativos!!

Em suma, esta foi uma experiência não muito agradável, tendo em conta que gorou as expectativas, mas que consumiu ainda bastantes recursos financeiros, se contabilizar o valor da inscrição, combustível, portagens e almoço.

Neste XIII Fórum Nacional de Apicultura, não se falou assim tanto de apicultura como eu esperava, quase não houve apresentações dignas de um fórum nacional e saí de lá a saber tanto quanto já sabia sobre abelhas, com excepção de uma ou outra informação que retive das duas primeiras intervenções, que de facto me fizeram reflectir sobre algumas coisas, nomeadamente na aposta na produção em modo biológico e por outro lado o peso da China no mercado mundial do mel, com preços impossíveis de bater, mas com um tipo de produção absolutamente duvidosa.

Tenho pena que a minha primeira experiência em termos de fóruns nacionais tenha sido esta, mas a verdade é que fiquei tremendamente desapontado com tudo o que vi, no entanto ficou a experiência e em futuros eventos deste tipo terei de analisar bem o programa, para ver se justifica ou não a participação em função da pertinência dos temas que irão ser abordados.

Creio que tal como eu, deve ter havido muito mais gente a sair frustrada deste evento, tendo em conta que quase metade dos participantes eram jovens, que me pareceu estarem no início da sua vida como apicultores, alguns deles com projectos aprovados pelo PRODER e outros em vias de apresentar candidaturas com vista à instalação dos seus apiários.

Fica também uma nota para a muito forte participação de apicultores algarvios que se fizeram representar no evento (apesar da distância!), bem como de outras regiões do país, onde se inclui um amigo destas “lides” que conheci por ocasião da frequência de um curso de apicultura realizado na Pampilhosa da Serra no início deste ano, que foi agradável rever.

Registei ainda uma problemática levantada no período da mesa redonda em torno da identificação geográfica de apiários, que muitos apicultores defendiam dever ser realizada, mas percebeu-se pela posição dos representantes da tutela que não se irá caminhar nesse sentido… Parece assim ficar comprometido o tão abordado tema da política de ordenamento apícola.

Fica assim o registo das principais incidências deste XIII Fórum Nacional de Apicultura, que bem gostaria tivesse sido mais proveitoso, sobretudo porque era a minha primeira experiência a este nível e também porque considero que estes eventos devem ser mais frutuosos para que se justifique a sua realização.

Saudações Apícolas!!

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Feira Nacional do Mel e Fórum Nacional de Apicultura 2012

Para todos aqueles que estão no mundo da apicultura, sejam eles profissionais ou amadores aqui fica a informação sobre a realização da XI Feira do Mel e XII Forum Nacional de Apicultura, que se realizará nos próximos dias 9, 10 e 11 de Novembro na vila do Luso.




Está será sem dúvida uma boa oportunidade para ouvir falar muito de apicultura... Conhecer gente da apicultura... Trocar contactos... Fazer negócios e... Até conhecer colegas!!

Desta vez espero poder participar...

Ficam os links com a informação que está disponível no site da Federação Nacional de Apicultores Portugueses, bem como no site do Município da Mealhada.

http://www.fnap.pt/eventos.php?m=14

http://www.cm-mealhada.pt/index.php?id_not=1100&tipo=1&acao=destnot_com.php

Saudações Apícolas!!

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

ATAQUE DE TRAÇA



Este fim de semana novo problema no meu apiário… Traça!!

Já tinha lido sobre este problema e até já tinha contactado com este problema, quando um amigo meu me ofereceu umas caixas que eram dos seus pais e que já não eram abertas há cerca de 6 anos. Na altura já tinha ficado impressionado com a gravidade deste problema e tinha pensado… “Só espero nunca passar por uma situação destas com as minhas caixas…”

A verdade é que estou a passar por este problema na única colmeia que tinha comprado, ou seja a primeira a chegar ao meu apiário, que foi comprada em Fevereiro deste ano.

Tendo-me debruçado sobre este problema neste últimos 2 dias, foi possível observar que para se dar um ataque de traça é preciso verificarem-se algumas condições, nomeadamente:
- Falta de arejamento na colmeia;
- Excesso de humidade na colmeia;
- Colmeia instalada em local sombrio;
- Enxame fraco que não se consiga defender;
- Presença de ceras velhas;
- Falta de maneio adequado;

Neste caso, parece que houve uma série de questões que tocam nos pontos referidos anteriormente senão vejamos…

1 – Adquiri a colmeia (lusitana) em Fevereiro de 2012, que ao nível de caixa vinha como nova e o enxame vinha bastante forte.

2 – A força e tamanho do enxame levou-me a colocar uma meia alça no início de Março, que rapidamente ficou cheia de mel, tendo inclusivamente havido postura de rainha num dos quadros.

3 – Como havia postura num quadro da meia alça, optei por colocar uma alça de reversível, para fazer um sobreninho à colmeia lusitana, que ficou lá desde finais de Abril, tendo na altura da cresta verificado que estava repleta de mel, que acabei por deixar para reserva de alimento para esta colmeia ou para outras que necessitassem.

4 – Desde a colocação desse sobreninho, em Abril, que não inspecionava o ninho, porque a colmeia produziu bem, havia muita população e nunca pensei que pudesse ter problemas no ninho. – ERRO!!

5 – A existência de um sobreninho feito com uma alça reversível dificultava o maneio, por se encontrar cheia de mel, que obviamente me desmotivava a levantá-lo. ERRO!!

6 – Como entretanto efectuei maneio ao ninho percebi que as ceras já deviam ter algum tempo, tendo em conta que todos os quadros estavam bastante escuros, incluindo os das pontas, pelo que devia ter iniciado a substituição/renovação das ceras, o que não fiz. – ERRO!!

7 – Esta colmeia apesar de estar num sítio onde o sol bate, não é de todo o local no apiário onde há mais incidência de sol, dada a presença de oliveiras. – ERRO!!

Identificados os meus erros, que em suma se traduzem em excesso de confiança e no nacional “porreirismo” obrigaram-me hoje a uma intervenção que não sei qual irá ser o resultado, mas que por aqui irei dando conta.

A intervenção hoje baseou-se na abertura da caixa, que já estava desde sexta-feira passada sem sobreninho, que se encontra de “quarentena” para verificar se há eclosão de ovos de traça… Se não houver, vou aproveitar os quadros com mel para reforçar as outras colmeias, mas caso haja eclosão de larvas, vou ter de analisar o assunto.

Da abertura da caixa, deixo as fotografias que “ilustram” a situação…










Extraordinário que no fundo da caixa, para além de muita cera roída encontrei uma das lagartas responsáveis pelos estragos, que as nossas amigas estavam a tentar expulsar para fora da caixa, como mostra a foto…


Posto isto, passei a uma análise quadro por quadro, para verificar a profundidade dos estragos, que se resumem da seguinte forma:
- 4 quadros completamente “minados” que foram retirados da colmeia.
- 2 quadros com bastantes reservas de mel, que por não terem vestígios de traça, foram aproveitados.
- 4 quadros que foram aproveitados, depois de terem sido limpos com a ajuda de uma faca, tendo cortado todas as partes em que havia vestígios de traça.

Peguei na caixa e passei-a completa e prolongadamente com o maçarico para eliminar alguns ovos que ainda por lá estivessem e que não tivessem eclodido.

Com base nisto e porque havia criação em vários estádios (incluindo ovos do dia!), apesar de não ter sido possível encontrar a rainha, decidi juntar estes 6 quadros a partir do lado esquerdo, como se estivesse a elaborar um desdobramento… Foi pena não ter um núcleo lusitano, pois teria passado esses quadros para lá, mas quando não temos cão… Caçamos com gato!!

Não sei se adoptei os procedimentos mais adequados perante a situação, pelo que resta aguardar alguns dias para ver como a situação evolui, embora a minha esperança não seja muita quanto à salvação desta colmeia… O tempo ditará a sua sorte.

Saudações Apícolas!!

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

FORMAÇÃO GRATUITA

Em conversa com um amigo fui informado que a NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém irá realizar uma formação na área da apicultura.

Esta informação levou-me a procurar obter mais informação junto desta prestigiada associação, tendo sido possível confirmar que a acção será realizada na Chamusca e será financiada, logo não apresenta qualquer encargo financeiro para os formandos.

Ainda não há certeza sobre as datas e horários para a realização da acção de formação, ainda que no site seja indicada a data de dia 1 de Outubro como data de início. Fui informado pelo departamento de formação da NERSANT que a data só será fixada quando existir um número mínimo de formandos que justifique a sua realização.

Assim há a destacar no essencial os seguintes pontos sobre esta acção de formação:

- Duração: 50 horas;

- Local: Chamusca (Ribatejo);

- Horários: a definir, mas poderá realizar-se em horário pós-laboral, se for essa a escolha preferencial dos formandos;

- Custo: não tem qualquer encargo para o formando, dado ser uma acção financiada, havendo ainda lugar ao pagamento de subsídio de refeição aos formandos, sempre que tal seja aplicável;

- Temas a abordar: Instalação de Apiários, Modelos de Colmeias - Dimensões e Características;

Parece uma boa oportunidade de formação para todos aqueles que se pretendem iniciar no mundo da apicultura ou que são "jovens apicultores" à procura do melhor espaço para a instalação do seu apiário, ou que têm dúvidas quanto ao tipo de colmeias que devem escolher.

Para mais informações deixo o link directo da NERSANT sobre esta acção:

http://www.nersant.pt/index.asp?info=formacao/financiada/modular&curso=2&accao=3003

Outras informações e/ou pedidos de esclarecimentos podem ser obtidos junto da associação através do telefone 249 839 500.

Saudações Apícolas!!

terça-feira, 7 de agosto de 2012

CRESTA 2012


Após tomada a decisão, já realizei a cresta 2012!!

Verdade que as duvidas eram muitas sobre a operação, mas o resultado final foi francamente positivo e tudo correu com normalidade.

A principal dúvida que tinha prendia-se com o facto de valer ou não a pena realizar a cresta de apenas uma colmeia, dado que teria de fazer algum investimento, para poder realizar essa operação.

No fundo o investimento realizado teve um “retorno moral” francamente positivo e resultou numa forte motivação para continuar com a actividade.

Afinal de contas, não é todos os dias que se tem o prazer de extrair o produto do nosso trabalho, e esse prazer é tão gratificante e tão saboroso… Ainda por cima quando é feito pela primeira vez!!

Importa referir que esta operação só foi possível, porque um apicultor da zona de Braga, que leu o meu apelo no fórum de apicultura sobre a minha necessidade de adquirir uma centrifugadora manual, respondeu ao apelo e conseguimos fechar negócio de forma fácil, tendo resultado num bom negócio para ambas as partes.

Assim adquiri a minha centrifugadora tangencial (manual) para 3/6 quadros, que vinha como nova e que deu bem conta do recado. Pena ter trabalhado pouco este ano, mas para o próximo ano trabalhará com certeza de forma muito mais intensa!

A operação de cresta decorreu no fim de semana, de forma normal, sem ser necessário levantar de madrugada, dado que só crestei uma meia alça de 8 quadros, que foram retirados a meio da manhã em cerca de 15 minutos.

Esta colmeia ainda ficou com bastantes reservas para que as abelhas passem bem o inverno.

Seguiu-se a fase da desoperculação, que contou com a ajuda da minha mãe, que com a faca normal para esse fim, realizou a operação com toda a normalidade e até parecia que já efectuava aquela operação à muitos anos…



Assim que os quadros estavam desoperculados foram passados de imediato para a centrifugadora, onde o meu pai já esperava para dar uma ajuda na operação…. Um verdadeiro espectáculo de máquina!!



Seguiu-se a fase de filtragem do mel, que passou por três fases, tendo ficado sem qualquer impureza (vestígios de cera)…



O mel ficou em repouso durante dois dias e na segunda-feira (6 de Agosto) procedeu-se ao enfrascamento do produto, que já se encontrava sem bolhas provocadas pela centrifugação…



Este ano usei frascos de 0,5 Kg e 1 Kg que adquiri na Agriloja por preços não muito “simpáticos", o que me vai obrigar a mudar de fornecedor, em especial para um que apresente preços mais em conta!
Mas ainda assim valeu a pena, sobretudo para ter uma imagem destas….




Depois, como a ocasião o exigia e porque toda esta produção já está reservada para amigos e família, decidi criar o meu “rótulo”, só para dar um ar de graça aos frascos e até nem ficou mal de todo…


Em suma, tudo correu como esperado, mas o prazer de realizar a minha primeira cresta superou largamente o que estava à espera!!

No que toca à produção…. E tendo em conta que crestei apenas 8 quadros de uma meia alça, não podia estar mais satisfeito, afinal ainda consegui produzir 11 kgs de mel.

O meu agradecimento aos meus pais e à minha namorada, bem como a todos os amigos que me apoiaram na decisão de realizar a cresta e que apresentaram sugestões e ainda  ao apicultor que me vendeu a centrifugadora, que me permitiram concretizar o sonho.

Saudações Apícolas!!

terça-feira, 24 de julho de 2012

MEL AJUDA BOMBEIROS

Num momento crítico em termos de incêndios e depois da calamidade que se tem verificado este verão em tantos locais do nosso país, sendo os mais mediáticos a Madeira e o Algarve, eis que surge uma foto que não poderia deixar de partilhar, vinda dos Bombeiros Voluntários da Batalha....



Parece que o mel foi um alimento importante para este bombeiro, que certamente já se encontrava a combater o incêndio à muito tempo, estando ele próprio a "ficar sem provisões", tendo por isso que se socorrer das provisões das nossas amigas.

Um bem haja e um forte agradecimento a todos os bombeiros pela coragem e pelo trabalho em prol da defesa das populações.

E já agora um forte abraço de solidariedade para todos os colegas apícultores que perderam colónias e que viram os "pastos" das suas abelhas completamente dizimados por estes terríveis incêndios.

Saudações Apícolas!!

domingo, 22 de julho de 2012

DECISÃO TOMADA……. VOU CRESTAR!!


No meu último post tinha deixado uma dúvida, se havia ou não efectuar a cresta.

Pois bem, a minha visita deste fim de semana e as pesquisas que tenho efectuado levaram-me a tomar a decisão de crestar este ano.

Afinal de contas tenho uma colmeia que está mesmo a “pedi-las”… Foi a minha primeira colmeia com que iniciei o apiário em Fevereiro deste ano.

Foi uma colmeia lusitana que adquiri, na qual comecei por colocar uma meia alça, que ficou completamente cheia e onde notei a presença de ovos do dia numa fase inicial…. Isso levou-me a criar um sobreninho, tendo colocado a meia alça mais acima, dado que já se encontrava quase completa com mel.

Essa colmeia está com o sobreninho quase repleto de mel, onde a rainha usou apenas o quadro central para efectuar postura, que já nasceu, estando também ele a ser já ocupado com mel.

A minha ideia aponta para a cresta da meia alça na totalidade (8 quadros) e eventualmente mais 1 ou 2 quadros do sobreninho, deixando o restante como provisões para o inverno desta colmeia ou de outra que venha a precisar de reforço alimentar, para evitar a alimentação artificial.

Estou em crer que com a cresta conseguirei cerca de 15 a 20 kgs de mel, mas vamos ver…

Aqui fica a imagem de um quadro de meia alça, com um aspecto belíssimo!!



E a imagem da meia alça, com 8 quadros que irá ser totalmente crestada…



Resta acrescentar que encontrei um colega apicultor, que me vai vender um extrator manual de 3/6 quadros em muito bom estado, que estou em crer me dará para os próximos 2/3 anos, se o crescimento da minha actividade apícola se mantiver dentro do que espero!

Nesta minha visita deparei-me também com uma situação que já estava mais ou menos a contar e que teve a ver com cera derretida nos sobreninhos….


Esta situação deveu-se à minha inexperiência, já que optei por colocar sobreninho nas colmeias com os enxames deste ano, para lhes dar espaço e na esperança que ainda subissem ao sobreninho… Puro engano!!

O sobreninho foi colocado no final de Maio, altura em que a floração já decrescia e em que o calor se começava a sentir com intensidade… Bem que o meu fornecedor de material me deixou a dica e dizia “Não sei se ainda vai encher essas…!?”. E tinha toda a razão!!

Mas é com erros destes que aprendemos!

De resto tudo se mantém dentro da normalidade, com os novos enxames já com algumas reservas, mas o enxame que esteve zanganeiro está um pouco mais atrasado.

Aproveito para agradecer a todos os leitores do blog as dicas que foram dando e as mensagens que me enviaram sobre a dúvida que tinha em relação à cresta.

Resta ir buscar o extrator e pôr mãos à obra… Espero que no próximo fim de semana já possa relatar a experiência da minha primeira cresta.

Saudações Apícolas!!

terça-feira, 10 de julho de 2012

CRESTAR OU NÃO CRESTAR??

Passou mais de um mês desde a ultima postagem aqui no blog...

O facto de não ter escrito no último mês não significa que não continuo a trabalhar ou que o interesse pela actividade diminuiu... Muito pelo contrário!!

Entretanto continuo a visitar quinzenalmente as minhas "amigas", que se encontram a trabalhar normalmente!

Já enviei a minha primeira declaração de existências, que é obrigatória por lei para todos os apicultores registados.

Continuo a efectuar essa operação via CTT, com envio dos documentos em triplicado, recebendo ao fim de poucos dias um dos exemplares devidamente assinado e carimbado, o que faz prova de entrega!!

Esta operação levou-me a reflectir sobre os motivos que levam os serviços de veterinária a não possuirem um sistema mais fácil e rápido para registo de efectivos apicolas ou até mesmo para o registo inicial de apicultor...

Ora num momento em que tudo se pode fazer através da internet, porque não apostar também num serviço electrónico para esta área??

Bem, mas adiante....

Neste momento debato-me com uma dúvida / problema.... CRESTAR ou NÃO CRESTAR????

Passo a explicar....

Actualmente tenho 6 colmeias, mas apenas uma delas tem mel em condições para efectuar a cresta, já que as outras 5 resultam de capturas de enxames deste ano!!

A minha dúvida / problema é se se justifica investir num extractor de mel para crestar 10 quadros de uma meia alça?

Atendendo às condições actuais de desenvolvimento do meu apiário, bem como dos preços praticados para equipamentos de extracção de mel, parece-me que este ano não vai haver cresta nas Abelhas da Lezíria!!

Assim irão ganhar com isso as abelhas da minha primeira colmeia que terão reservas mais que suficientes para passarem o inverno e com sorte ainda alimentarão outras colmeias!

Saudações Apícolas!!

domingo, 27 de maio de 2012

VISITA DE ROTINA

No passado dia 26 de Maio fui inspeccionar as colmeias e não fiquei desiludido com o que vi, de forma global as coisas parecem estar a correr bem!!

De forma geral observei alguns escaravelhos a tentar entrar nas caixas, que ficam presos nas grelhas, mas também encontrei alguns no seu interior, que obviamente fui eliminando.

De resto...

O primeiro enxame está a evoluir muito bem, com uma meia alça completamente cheia de mel e a alça que coloquei para funcionar como sobreninho tem um quadro cheio de criação operculada e ovos do dia, estando os restantes quadros com pólen e algum mel.

As duas garfas que apanhei (1º e 2º enxames) estão a evoluir muito bem, após a operação de junção, havendo muita criação, mas continuam apenas com o ninho.

Nos últimos dois enxames capturados as coisas também estão a evoluir bastante bem, já com criação em vários estádios e com postura bem regular, tendo colocado sobreninhos, para que não haja bloqueios no ninho.

Neste momento a minha principal preocupação centra-se com um dos enxames oferecidos, dado que um deles está em perfeitas condições e já levou o sobreninho.

O enxame que me preocupa parece estar ZANGANEIRO.....

É um enxame com muito gado, algum mel e pólen, mas não foi possivel observar ovos do dia... No entanto existem larvas (poucas!), em sítios dispersos e em vários quadros... Existe criação operculada, mas com operculos muito altos, que me parecem ser todos de zangão...

Nesta colmeia há muitissimos zangãos... muitos mesmo!! Mais do que em qualquer outra caixa que possuo!!

Quando à cerca de 15 dias abri a caixa verifiquei a formação de duas realeiras a meio de um dos quadros, mas ainda vazias.

Desta vez, essas realeiras parecem já ter cumprido a sua tarefa, estando uma delas aberta na ponta do bico e outra aberta lateralmente... Que a julgar pelo que vou lendo, deve ter originado o desenvolvimento de uma nova rainha, tendo a outra sido eliminada... Será que foi assim??

Fica a foto do que observei ontem...


A questão com que me deparo neste momento é se esta realeira irá dar uma boa rainha ou não?

Como não quero que a colmeia fique zanganeira e como não vi a rainha nova, optei por colocar um quadro com criação em vários estados (incluindo ovos do dia!) que retirei de outra colmeia, não vá dar-se o caso da coisa não correr bem com esta rainha nova...

Será que fiz bem?? Será que era necessário??

Vamos ver o que acontece com esta colmeia...

Entretando deve estar a chegar novo enxame ao barracão.... Ehehehehe.... Abençoado barracão para apanhar enxames... As abelhas "batedoras" já lá andam desde sábado, hoje intensificaram o movimento e creio que lá para segunda ou terça-feira deve chegar mais um enxame... Eheheehehheh

Saudações Apícolas!!

segunda-feira, 21 de maio de 2012

APIÁRIO EM CONDIÇÕES SANITÁRIAS...

Ele há cada coisa...

Numa deslocação de trabalho que efectuei esta manhã, não pude deixar de registar um apiário onde não faltam condições sanitárias.... Pelo menos a julgar pela presença da sanita!!! Ehehehehhe

Ou será um novo tipo de colmeia que está em fase de testes??

Apesar de tudo, segundo o apicultor, no ano de 2011 estas 4 caixas produziram cerca de 70 kgs de mel...

O ano de 2012 ditou a morte de uma delas, a que se encontra só com ninho (1ª caixa à esquerda)!!

Fica o registo fotográfico...



Saudações Apícolas!!

sexta-feira, 18 de maio de 2012

MAIS UM... (6º ENXAME)

Há coisas engraçadas...

Tal como tinha deixado anunciado na minha última mensagem, esperava apanhar mais um enxame no mesmo sítio onde apanhei o 5º...

A previsão estava certissima, o meu 6º enxame do ano chegou ontem cerca das 15 horas e foi alojar-se no mesmo sítio onde se alojou o anterior!!

Mais uma vez foi parar no barracão onde tenho armazenado o material apícola, tendo-se colado à tampa de agasalho que estava aberta e estrategicamente colocada sobre umas alças!!

Curioso que tenho 3 cortiços colocados perto do apiário e "besuntados" com abejar e elas não vão lá... Gostam mais das caixas velhas!! Eheheheheh

Este enxame foi o maior que capturei!!

Ficam alguns vídeos da operação.

Primeiras imagens do enxame "agarrado" à tampa de agasalho...



Imagens da entrada das abelhas na nova caixa...




Movimentação de abelhas que levantaram aquando da operação de transferência...




Entrada das abelhas na caixa...



E assim ganhei mais um enxame!!

Ao que parece ainda não fica por aqui, dado que as abelhas "batedoras" hoje já por lá andam em grandes movimentações e lutas constantes na defesa do espaço.

Vamos ver se de facto, como diz o ditado, "não há duas, sem três"!

Saudações Apícolas!!